Ato contra a privatização reune trabalhadores e representantes da sociedade contra a privatização dos Correios

0
199

Na manhã de hoje (14/7), o SINTECT/SE (Sindicato dos Trabalhadores dos Correios) realizou um ato público contra o PL 591/2021 e por valorização.

Mantendo todas as medidas de distanciamento social, o evento foi um momento importante para a mobilização e contou com a participação de trabalhadores filiados, membros da direção colegiada, parlamentares e membros do movimento sindical e estudantil.

De acordo com Jean Marcel Reimon, membro do Sintect-SE, o objetivo do ato foi dialogar com a população para mostrar a importância histórica da empresa Correios como um serviço essencial presente em todas as cidades do Brasil e as desvantagens que a desestatização trará. “A privatização vai trazer muitos prejuízos para a população, principalmente para a população das cidades menores que poderá sofrer aumento na tarifa postal ou até mesmo a extinção do serviço postal”, declara.

O sindicalista relata que a queixa dos trabalhadores também está voltada para as agências que podem ser fechadas por não darem lucro. “Muitos postos podem ser encerrados com o fechamento de agências que não dão lucro e que são mantidas através  do subsídio cruzado”, explica.

Ainda segundo Jean Marcel, a desestatização também afetará trabalhadores. “Com a privatização, muitas cidades, que não apresentam lucros do ponto de vista financeiro, podem ser encerradas e a população ficará desassistida, sem contar com os trabalhadores que serão demitidos com essa nova realidade da empresa”, pontua.