Luta dos trabalhadores garante a manutenção do acordo coletivo!

0
39

O que parecia ser um ano de retrocessos, com as ameaças por parte da empresa, na retirada de direitos conquistados ao longo de anos, os trabalhadores dos correios conseguiram dar um passo muito importante, demonstrando que somente com luta é possível avançar e não permitir que retrocessos aconteçam, partindo de um governo de ultradireita.

A atuação política das representações dos trabalhadores na greve deflagrada no dia 10 de setembro e na Campanha Todos pelos Correios, foi determinante para garantir um bom resultado, principalmente em demonstrar à população o que de fato se encontra por trás do discurso desqualificado da direção da empresa, a privatização dos Correios.

Apesar de todas as dificuldades enfrentadas durante o processo negocial, no qual a empresa se utilizou de dados antigos para convencer a sociedade e o Tribunal Superior do Trabalho de que seria necessário impor retirada de direitos, a atuação política unificada das Federações e o alinhamento jurídico, que inclusive contou com a participação da Adcap, trouxe à tona toda a problemática criada pela atual direção da empresa, que de forma intransigente e irresponsável, empurrou a categoria para uma grande greve nacional.

Foi esta atuação unificada que garantiu esclarecer ao TST a necessidade de manutenção dos direitos e a segurança jurídica aos trabalhadores. O julgamento da SDC/TST garantiu a manutenção de todas as cláusulas do Acordo Coletivo e a vigência do mesmo por dois anos (01 de agosto 2019 a 31 de julho de 2021). Em síntese, além da manutenção das cláusulas anteriores, foi definido o reajuste de 3% (três por cento) retroativos a 1º de agosto sobre salários e benefícios, além de ajustes de melhoria no cálculo da mensalidade e compartilhamento do plano de saúde.

Não há como sair de uma batalha sem se ferir, e infelizmente, quanto ao plano de saúde dos pais não foi possível reverter a decisão judicial do ano passado, que manteve o atendimento até dia 31 de julho de 2019. No momento, ficam garantidos somente o atendimento médico daqueles procedimentos já autorizados e aqueles continuados definidos na decisão do TST, a qual teremos conhecimento na íntegra quando da publicação da sentença normativa.

Desta maneira, o SINTECT/SE parabeniza todos os trabalhadores e trabalhadoras que acreditaram na luta e que, diante das dificuldades e ameaças do governo, tiveram a coragem de aderir à greve, e assim, obter a manutenção dos seus direitos. Com a manutenção do Acordo Coletivo de Trabalho por dois anos, cabe à categoria ecetista agora focar na luta em defesa dos Correios, contra a privatização. Agora a luta não é apenas nossa e sim de todo o povo brasileiro. Oficialmente, no dia 14 de outubro será instalado em Brasília/DF o Comitê Nacional em Defesa dos Correios.

A luta Continua!

Contra o desmonte dos Correios e do patrimônio brasileiro!

Por nem um direito a menos!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here